Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogaridades

À Bolina Pela Vida... Irónico contra os ventos surumbáticos, sério contra os ventos irresponsáveis, iconoclástico contra os ventos dogmáticos, e politicamente incorrecto sejam quais forem os ventos...

Blogaridades

À Bolina Pela Vida... Irónico contra os ventos surumbáticos, sério contra os ventos irresponsáveis, iconoclástico contra os ventos dogmáticos, e politicamente incorrecto sejam quais forem os ventos...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

JOVENS, FAZEI-VOS "AU TROTTOIR"

por bolinando, em 18.12.16

 

A JS elegeu um  novo Secretário-Geral. Até aí nada de novo. Até nos cemitérios há exumações regulares. Pela mesma razão que, nos cemitérios de ética e ideias políticas que são as Jotas, sem excepção, há que a intervalos regulares proceder à inumação dos cadáveres dos lideres e trasladá-los para urnas de ossadas com destino ao panteão da AR, ou das autarquias, ou das concelhias, ou distritais.

O que há de novo neste caso, a crer na comunicação social (sim, porque eu com os meus 60 anos já só podia pertencer à entretanto extinta juventude do Partido Comunista Albanês), é que, num país onde a maioria dos jovens não consegue arranjar um emprego com um mínimo de estabilidade e dignidade, onde não conseguem frequentar o curso superior que querem e mesmo aquele que frequentam vivem sob a ameaça de terem de abandonar por escassez de meios financeiros, onde esses jovens não conseguem sequer abandonar a casa dos pais, quanto mais constituirem a sua própria família, onde a perspectiva mais atractiva que se lhes oferece é a emigração, ora a prioridade para o novo secretário-geral parece ser a da regulamentação da prostituição. Ou seja, depois de termos tido um primeiro-ministro que convidou os jovens a emigrar eis que surge um Jotinha que parece ter encontrado uma maneira inovadora de promover a fixação, ou mesmo o regresso dos jovens. 

Mas o que acho ainda mais preocupante no programa deste novo líder, de seu nome, Ivan Gonçalves, é que outra das suas preocupações prende-se com a captação de mais jovens para a política. Ora, se juntarmos A + B das propostas de Ivan "O Terrível", é impossível não pensar que o recrutamento podia articular-se com a outra prioridade. E aqui fica o cerne da minha preocupação.

E assim vai o Portugal dos Pequeninos.

ESTA ESTRADA NÃO É PARA VELHOS!

por bolinando, em 11.12.16

age-discrimination.jpg

 

Espero sinceramente que a medida agora anunciada e que obriga todos os cidadãos que queiram renovar a sua carta de condução aos 65 anos a realizar uma formação obrigatória não passe de um fogacho sem consequências práticas, fruto do "excesso de zelo" de algum funcionário mais atento e venerando.

Porque se assim não for, estaremos perante uma medida absolutamente discriminatória e que, em minha opinião, pode mesmo estar ferida de inconstitucionalidade. Ferida de estupidez e preconceito, está de certeza. E provavelmente também de tráfico (nesta caso talvez mais tráfego) de influências.

Vejamos: A que se deve esta medida? Está fundamentada em que bases científicas e em que dados estatísticos? Não conheço nenhuma estatística rodoviária que atribua ao grupo etário de + de 65 anos um índice de sinistralidade superior à média. Se assim fosse, poderia talvez estar justificada a medida mas, repito, a estatística desmente-o. Aliás todos quantos andamos na estrada sabemos que não são os condutores com mais de 65 anos que vão fazer corridas clandestinas na ponte Vasco da Gama e noutros locais, nem são eles que protagonizam os "picanços" que todos os dias vemos. As estatísticas também provam que não é entre os condutores de + de 65 anos que se encontram  os mais elevados índices de condução sob o efeito do álcool (e muito menos de drogas). De vez em quando lá há um que entra em contra-mão numa auto-estrada mas são casos esporádicos cujo volume não justifica a medida. (e também não percebo em que é que a formação impediria que isso acontecesse).

Acresce que hoje a idade da reforma já está estabelecida para os 66 anos e 3 meses (e sempre a subir). E para continuar a trabalhar não é necessária nenhuma formação acrescida (talvez porque essa teria de ser suportada pela entidade empregadora ou pelo Estado). Pode continuar-se a trabalhar (mesmo a operar e conduzir máquinas dentro da empresa ou estaleiro) mas não pode continuar-se a conduzir... sem essa tal formação que aposto que não será gratuita, deverá ser suportada pelo cidadão condutor e será adjudicada aos lobbies do costume, sendo que o Estado também irá arrecadar, quanto mais não seja os 23% do IVA da prestação do serviço, mas provavelmente mais alguma taxa pela emissão do comprovativo dessa formação.

E o cocktail começa a ser explosivo: Preconceito, discriminação, extorsão. 

Mas há mais. A Directiva Serviços, emanada pela Comissão Europeia, isentou de renovação os certificados de aptidão profissional para o exercício de profissões liberais. Ou seja, eu posso ser formador, ou técnico superior de muitas coisas, mesmo a cair do tripé e todo tolhidinho pelos bicos de papagaio. Podem pôr em causa a minha capacidade física mas não os meus conhecimentos. Ora na carta de condução a capacidade física já tem de ser provada em cada acto de renovação. O que agora é posto em causa não é essa capacidade física, mas sim os conhecimentos e competências. Mais uma vez não são os condutores mais faltosos, com mais multas, etc, a serem postos em causa mas sim os que cometem o horrível, hediondo, crime de terem 65 anos!

A geração dos que têm hoje quase 65 ou mais anos cometeram de facto um crime. O de não terem sido capazes de educar e transmitir valores sociais à geração de "jovens" que estão hoje no poder e que tratam os idosos com tal desrespeito, preconceito e calculismo. Sim, calculismo, porque a principal razão para manter as pessoas a trabalhar até aos 70 e mais anos daqui a algum tempo, tem pouco que ver com o aproveitamento da sua experiência, ou com solução de problemas do mercado de emprego, bem pelo contrário, já que por cada idoso mantido a trabalhar, há um jovem que não arranja emprego. A razão é muito mais calculista e hipócrita. É que os idosos devem ter salários mais elevados e, por isso, descontam mais em impostos. Assim se passou do cidadão para o contribuinte. Há que trabalhar até muito tarde, para "contribuir" muito e depois... que se lixe. Depois da reforma quanto mais cedo morrer melhor, pois menos penaliza a Segurança Social. E se possível que morra antes de gastar o que amealhou (os que conseguiram amealhar alguma coisa) enquanto trabalhou, para os seus herdeiros pagarem um imposto sucessório maior.

E enquanto vivos, toca de os espremer até ao tutano, com "invenções" como esta pseudo-formação.

Esta estrada não é para velhos e este Estado também não.

 

Da série "O Diabo veste Passos", Primeira (e última) temporada, ep. 3

por bolinando, em 08.12.16

passos 1 unico.jpg

passos portas 1.jpg

rui Rio.JPG

passos portas.jpg

DA SÉRIE "O DIABO VESTE PASSOS", ep.1

por bolinando, em 29.11.16

A fotonovela foi um género que teve grande expansão nos anos 50 e 60 do século passado. Em Portugal consumiam-se muitas, sobretudo de origem brasileira. 

Mas hoje também poderia ter algum êxito, tal a qualidade comediante de várias figuras e figurões da nossa praça.

Aqui vai o meu contributo.

passos diabo1.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

passos diabo2.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

passos diabo3.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

passos diabo4.jpg

 sarcástico

 

IGNORÂNCIA HISTÓRICA OU ÓDIO IDEOLÓGICO?

por bolinando, em 27.11.16

As reacções ao anúncio da morte de Fidel Castro vieram provar que a muita gente não fazia mal nenhum lerem qualquer coisinha sobre História e não apenas o jornal desportivo, as Selecções do Reader's, a primeira página do "Vómito da Manha" e os papéis das multas da EMEL. Para clarificar desde já as coisas devo dizer que partilho da opinião de que Fidel SE TORNOU um ditador. Mas compará-lo, como já li em várias publicações, a Pinochet, só denota uma enorme ignorância, ou um ódio ideológico cego. Detesto ambas as opções, mas sempre digo que a ignorância pode ser eliminada através do estudo e da leitura, enquanto o ódio costuma acompanhar os seus portadores até à morte.

Vejamos os factos. 

Pinochet subiu ao poder através de um golpe militar que derrubou um governo democraticamente eleito, não hesitando sequer em assassinar o presidente Allende. Fidel conquistou o poder derrubando outro ditador, Fulgencio Batista que tinha também ele dado um golpe militar que derrubou o Presidente democratica e livremente eleito, Carlos Prio.

Logo aqui há uma diferença abissal.

Mas o que se passou depois é mais importante ainda. O deposto presidente Batista, que não só não foi assassinado, como fugiu do país com todo o dinheiro e outras riquezas que conseguiu transportar, tendo encontrado asilo em Portugal, oferecido pelo seu amigo Salazar, (diz-me com quem andas...) esse Batista era, até ser deposto, o homem de mão das companhias açucareiras norte-americanas, e da indústria turística e do jogo (legal e clandestino) norte-americano, com a Máfia à cabeça, a qual, já agora, também dirigia o lucrativo negócio da prostituição. Ora os americanos não admitiam perder aquele oásis de lucro, mais a mais ali no seu "quintal" e que ainda por cima pregava ideias que poderiam contagiar outras "Repúblicas das Bananas". 

Entretanto o novo regime cubano lutava por dar de comer a um dos povos mais pobres do mundo, uma espécie de Haiti da época. 

O copo dos americanos transbordou quando o regime cubano nacionalizou a banca, os bancos, sempre os bancos, os Donos Daquilo Tudo!)  maioritariamente na mão imaginem de quem? Pois, dos americanos, os quais congelaram todas as contas bancárias cubanas em bancos americanos, cortaram as relações diplomáticas com a ilha e proibiram o comércio desta com empresas americanas. É nessa altura que se dá o verdadeiro fortalecimento das relações de Cuba com a então União Soviética (a quem, diga-se de passagem, dava muito jeito ter aquele "furúnculo no cu" dos americanos. Foi a URSS que forneceu cereais e combustível a Cuba. No corolário desse estreitar de relações vem a crise dos misseis, que todos conhecem e no seguimento da qual os americanos impuseram o bloqueio à ilha também a todos os países aliados dos EUA, tornando-a dependente a quase 100% do comércio e apoios dos países da esfera soviética..

Já agora importa dizer que os "democratas" americanos ainda tentaram uma invasão da ilha, levada a cabo por refugiados cubanos, agentes dos serviços secretos americanos e elementos dessa benemérita e democrática organização que dá pelo nome de Máfia. Foi o episódio da "Baía dos Porcos".

Para além disso o governo americano já admitiu ter patrocinado pelo menos 7 tentativas "democráticas" de assassinato de Fidel. 

Daí que penso ser legítimo tirar várias conclusões como sejam:

Foram os EUA e o seu famigerado bloqueio que, numa primeira fase atiraram Fidel e a revolução cubana para os braços da União Soviética e, numa segunda fase, lhe forneceram os argumentos para justificar os sucessivos falhanços económicos e sociais da revolução;

Com todos os erros, desvios e perversidades, basta comparar os índices de instrução, acesso à saúde e cultura deixados pelo ditador Batista com os deixados pelo ditador Fidel para perceber que houve diferenças... e grandes.

Em suma, Fidel tornou-se, de facto, um ditador numa primeira fase por necessidade de salvar a revolução cubana e as suas conquistas mas... tomou-lhe o gosto pois todos sabemos que o poder, sobretudo o absoluto, corrompe.

 didáctico

...

por bolinando, em 27.11.16

 O nosso presidente foi o último estadista do mundo a ser recebido por Fidel que apenas sobreviveu um mês a esta visita. Será que Marcelo aceita a sugestão de uma lista de dirigentes mundiais que elaborei para ele visitar durante o seu mandato? A Rainha de Inglaterra já anda preocupada... 

 sarcástico

...

por bolinando, em 27.11.16

 Com a morte de Fidel encerra-se uma época na História. Outra começará, e não forçosamente melhor. E eu comecei o meu novo blog, por mera coincidência, se é que tal coisa existe.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D