Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogaridades

À Bolina Pela Vida... Irónico contra os ventos surumbáticos, sério contra os ventos irresponsáveis, iconoclástico contra os ventos dogmáticos, e politicamente incorrecto sejam quais forem os ventos...

Blogaridades

À Bolina Pela Vida... Irónico contra os ventos surumbáticos, sério contra os ventos irresponsáveis, iconoclástico contra os ventos dogmáticos, e politicamente incorrecto sejam quais forem os ventos...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

NOSTALGIA DA SENEGÂMBIA?

por bolinando, em 20.01.17

 

Tropas senegalesas invadiram hoje a Gâmbia para obrigar o Presidente Jammeh a ceder o poder ao novo presidente eleito, Barrow.

Que fique bem claro que, tanto quanto julgo saber, o senhor Yahya Jammeh não será flor que se cheire. Mas o que deve ser realçado é a facilidade com que o Senegal e os seus militares intervêm nos países vizinhos. 

Claro que haverá quem diga que o fizeram em cumprimento de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU. Mas convém esclarecer que quem propôs essa Resolução foi... o Senegal.

Logo apoiado pela Nigéria que nem consegue resolver os seus problemas internos com o grupo islâmico Boko Haram, mas acorre solícita a intervir na Gâmbia.

Não posso esquecer a prontidão com que o Senegal invadiu a Guiné-Bissau, a pedido e em socorro do ditador Nino Vieira. O Senegal é que parece já ter esquecido "a tareia" que os Antigos Combatentes do PAIGC, unidos em torno de Ansumane Mané, lhe infligiram.

Na Gâmbia sabem que não correm esse risco. Pelo caminho aproveitam para fazerem mais umas investidas contra os guerrilheiros de Casamança e ao colocarem no poder Adama Barrow, afastam um ditador adverso e ganham um aliado de peso (ou um refém de "gratidão"?) cujo espírito democrático ainda está por provar. 

É que me parece que no campo senegalês ainda há muitos nostálgicos da "Senegâmbia" que, convém lembrar, apenas durou 7 anos e meio e não deixou saudades nem ao povo gambiano, nem ao povo senegalês.

Não me parece que esta intervenção vá pôr fim ao que quer que seja. Se calhar vai é iniciar mais uma crise regional. O tempo o dirá.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D