Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogaridades

À Bolina Pela Vida... Irónico contra os ventos surumbáticos, sério contra os ventos irresponsáveis, iconoclástico contra os ventos dogmáticos, e politicamente incorrecto sejam quais forem os ventos...

Blogaridades

À Bolina Pela Vida... Irónico contra os ventos surumbáticos, sério contra os ventos irresponsáveis, iconoclástico contra os ventos dogmáticos, e politicamente incorrecto sejam quais forem os ventos...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

KELLYANNE... NO WAY!

por bolinando, em 28.02.17

Kellyanne Conway, joelhos sofá sala oval

Kellyanne... rica... a tia acha que isso são maneiras de se sentar na Sala Oval?

Ah... é para o Donald não a grab by... OK, faz sentido...

E os sapatos não são da linha da Ivanka? Então já se percebe.

Está desculpada tia.

Vá lá inventar mais uns atentados e redigir mais umas leis contra imigrantes.

 

Ó PRA ELE, ARMADO EM... TRUMP

por bolinando, em 27.02.17

 

Resultado de imagem para trump militar

Apesar de ter um passado militar no mínimo obscuro, Trump gosta muito der fardas e de soldadinhos de chumbo. Em simultâneo gosta muito de gastar, para além de também gastar muito em gostar, ou não tivesse a Melania afirmado que "Ele gasta muito de mim".

Ora depois de ter gasto num mês o que a família Obama gastou num ano, Trump decidiu agora pagar os favores aos seus amigos da indústria do armamento e vai de aumentar em quase 10% as despesas militares, que passarão para mais de 50 mil milhões de Euros! E imaginem onde vai haver cortes para suportar o crescimento militar? Em todas as outras áreas, nomeadamente Justiça, Saúde, Educação mas, sobretudo, no Ambiente. Acho que ninguém lhe disse que essa não será a melhor forma de calar aqueles que o acusam de criar "mau ambiente". Mas, como em simultâneo Trump anunciou que vai reduzir drasticamente a ajuda externa, pode ser que venha justificar que está a combater o aquecimento global através do esfriamento das relações internacionais.

Falando agora mais a sério, esta decisão do louco varrido é excepcionalmente perigosa. O aumento do arsenal dos EUA, que apenas têm fronteira com o México (que aparentemente vai ser mural, para ser verdadeiramente imoral) e com o Canadá, não pode ter qualquer justificação em termos de defesa. Mas para as potências rivais terá uma leitura de intuitos agressivos, o que as levará, também elas, a mais uma corrida aos armamentos.

 E a verdade é que a História tem mostrado que o armamento "pesado" quando não é usado "enferruja", vai-se tornando obsoleto e não permite actualizações estratégicas e tácticas da sua utilização em teatros de operações. Nenhum exercício substitui uma boa guerra para esse fim!

Se olharmos para a História da Guerra Fria vemos que os americanos foram sempre mantendo o seu armamento e os seus militares "ocupados" em conflitos como o da Coreia ou o do Vietnam, enquanto o exército soviético estava tão parado que só fazia paradas (à excepção de operações de polícia na Hungria, na Checoslováquia e na Polónia e nesta nem de polícia conseguiram fazer, e de uma intervenção em Angola, num conceito operacional totalmente distinto de qualquer cenário previsivel e com a maior parte do seu material a ser operado por "empreiteiros" cubanos. Quando quiseram utilizar o material  e militares num conflito real, no Afeganistão, foi o que se viu.

Por isso Trump vai querer usar os seus "brinquedos". Acho mesmo que Trump está mortinho (infelizmente não literalmente) por desencadear uma guerrinha.

Mas com ele os negócios têm sempre prioridade, pelo que primeiro terá de fazer com que os 4 ramos das Forças Armadas americanas usem fardamentos vendidos pela sua filha Ivanka. Já estou mesmo a ver os bombardeiros americanos transportando atrás de si uma faixa onde se lê "Este conflito é patrocinado pelas boutiques Ivanka".

Enfim, parece que a personagem do universo militar americano que mais impressiona e inspira Trump é Custer. Espero que tenha o mesmo fim que ele.

TRUMP A ESTICAR-SE

por bolinando, em 26.02.17

A recente medida de Trump de barrar a entrada na roda de imprensa diária da Casa Branca a jornalistas de orgãos de comunicação que têm criticado abertamente a acção presidencial de Trump pode por alguns ser considerada apenas como mais uma bizarria de uma administração manifestamente desajustada do cargo que ocupa, ou mais uma birra de um menino mimado que não está habituado a ser contrariado e que, sem saber ler nem escrever se viu elevado a Presidente dos EUA.

Infelizmente é muito mais que isso.

Os EUA, goste-se ou não, são das mais antigas democracias do mundo e a que mais inspirou outros povos e nações a baterem-se por esse regime. E convém relembrar que, sobretudo no século passado, quando as democracias estiveram em risco na Europa foram os EUA que, tardiamente, é certo, e com muitos interesses comerciais à mistura, acorreram em seu auxílio.

Ora um dos bastiões da democracia nos EUA sempre foi a liberdade de expressão, não apenas individual, mas também colectiva, através do respeito pela liberdade e tratamento igualitário dos meios de comunicação e dos seus profissionais.

E os principiais órgãos de comunicação sempre cumpriram com grande profissionalismo e sentido ético a sua função de manter a opinião pública americana (e não só) correctamente informada. 

Cobriram, sem qualquer censura, as condições do corpo expedicionário americano na 1ª Guerra, muito contribuindo para o fim da bacoca guerra de trincheiras, tal como cobriram a participação dos GIs americanos na segunda guerra, quer na Europa, quer no Pacífico, e foram os primeiros a divulgar as horripilantes imagens e a tenebrosa realidade do Holocausto perpetrado pelo regime nazi.

Estiveram também na cobertura, verdadeira e muitas vezes arriscada, da guerra do Vietnam, muito contribuindo para que o "Home front" se rebelasse contra uma guerra sem qualquer sentido para o povo americano e que matava os seus filhos aos milhares.

E foi ainda o jornalismo de investigação que revelou tramas e conspirações que punham em causa a verdadeira essência da democracia nos EUA, como foi o caso Watergate, provocando até a queda de um presidente, Nixon.

E foram também esses media que trouxeram até nós a Guerra do Golfo, os seus desenvolvimentos e a realidade da inexistência de armas de destruição massiva.

E apesar de tudo isto, nunca nenhuma administração americana se tinha atrevido a barrar os jornalistas e a vedar-lhes o direito de informarem, muito menos discriminando entre órgãos "favoráveis" e "desfavoráveis" à Administração.

E foi este passo perigosíssimo, que Trump ou os seus "conselheiros" decidiram tomar.

E com este "pequeno" passo é a própria essência da democracia americana que é posta em causa.

Se dúvidas houvesse, fica claro que Trump é um ditador, louco e ignorante, ainda por cima.

A minha esperança, que julgo ser partilhada por todos os democratas, é que a sociedade americana seja mais forte que as pulsões autocráticas de meia dúzia de tiranetes e que a "land of oportunities" prevaleça sobre todas as tentações totalitárias.

E se for necessário que os EUA mergulhem numa guerra civil, lamento mas para além de já ter acontecido no passado, antes isso que os EUA a mergulharem o mundo numa guerra de destruição total.

Valha-nos a coragem de algumas personalidades dos vários ramos artísticos que não se têm coibido de saltar para a primeira linha do combate, conscientes de que após as limitações ao direito de informar vêm sempre, inevitavelmente, a censura e as limitações ao direito de criar e de se exprimir.

 

E já agora não queria deixar de assinalar a forma discreta e envergonhada como alguns "jornaleiros" de alguns pasquins do nosso país, admiradores confessos ou envergonhados do Trumpismo se têm referido a este"episódio", tendo-o mesmo ignorado olimpicamente alguns. Deviam envergonhar-se!

 

A AGENDA DE TRUMP

por bolinando, em 25.02.17

Resultado de imagem para trump correio da manha

Já começaram as Trumpleaks!

Um alto funcionário da Casa (mais que nunca) Branca, transmitiu-me, em troca de um garrafão de 5 litros de carrascão e uma caixa de pastéis de nata, a Agenda rotineira de Trump:

10:00  - Levantar e higiene íntima;

10:01 - Pequeno almoço;

10:30 - Ver TV (preferencialmente desenhos animados);

11:00 - "Grab" uma funcionária qualquer "by the pussy";

11:10 - Ver TV (preferencialmente documentários antigos da Fox sobre atentados igualmente antigos);

11:30 - "Grab" outra funcionária "by the pussy";

11:40 - Fazer um telefonema ofensivo a um presidente qualquer de um país qualquer;

11:50 - Aparecer em público com aquela imigrante, como é que ela se chama... Melanie, Melody, Melania... para as fake news não especularem coisas...

12:00 - "Grab" mais uma funcionária "by the pussy";

12:10 - Primeiros 150 tweets;

12:30 - Voar para um lado qualquer. O destino é irrelevante, desde que possa "Grab" a hospedeira "by the pussy";

12:40 - Durante o voo, ligar para o Wallmart a sugerir que patrocine o Muro com o México;

12:50 - Enviar mais 150 tweets;

13:00 - Ver TV (gravações antigas da FoxNews no ecrã do banco do Hair Force One);

13:30 - Almoço enquanto se entretém a teclar números ao calhas na consola de lançamento dos mísseis nucleares (só para ver o seu conselheiro militar ficar amarelo... It's huge, it's amazing, it's yellow).

14:00 - Começar a ouvir o álbum dos Pink Floyd até perceber que não é um Manual para a  Construção de Muros;

14:10 - Aterrar.

14:15 - Perguntar onde está.

14:20 - Comício onde invectiva os imigrantes clandestinos, aplaudido em delírio por uma multidão (100, it's huge, it's amazing) de descendentes de imigrantes clandestinos;

15:00 - Envio de mais 200 tweets;

15:10 - "Grab" a Mayor "by the pussy";

15:20 - Telefona aos Pink Floyd a sugerir que patrocinem o Muro com o México;

15:30 - Posa para os fotógrafos oficiais ao lado daquela emigrante, como era mesmo o nome dela... era um nome diferente da outra emigrante com que também foi casado;

15:40 - Visita o memorial aos mortos na Guerra do Vietnam, onde os insulta dizendo que os americanos querem soldados vivos e não aqueles que se deixam matar;

16:00 - Vê TV;

16:30 - Liga para o Presidente da China a perguntar se ainda têm os planos da Grande Muralha;

16:40 - Tenta convencer o Presidente da China a fazer um franchising da roupa da Ivanka (it's huge, mas também tem números pequenos);

16:50 - Vai jogar golfe;

17:00 - "Grabs" a caddy "by the pussy";

17:10 - Manda os militares abrirem buracos onde caem as suas bolas (de golfe, claro);

17:20 - Demite o conselheiro que lhe ganhou no golfe;

17:30 - Declara-se vencedor da Guerra do Golfe e atribui-se a mais alta condecoração americana, rebaptizada de Silver Trump Star;

17:40 - Envia mais 226 tweets;

17:50 - Inicia o voo de regresso no Hair Force One para o qual exigiu uma nova tripulação para ter outra hospedeira para "grab by the pussy";

18:00 - Pede que lhe façam uma chamada para a Wall Street para lhe sugerir que patrocine o Muro com o México;

18:10 - Demite o funcionário que lhe explica que a Wall Street é uma rua;

18:20 - Dá uma entrevista a um jornalista português, José António Saraiva, que lhe pede detalhes sobre as "pussies" que ele "grabs", para o seu novo livro;

18:30 - Repara que se esqueceu daquela emigrante, como era mesmo o nome dela, Mela... qualquer coisa. Mas não faz mal, haverá muitas outras emigrantes disponíveis para casar com ele... desde que não sejam mexicanas, iranianas, sudanesas, sirias, etc, etc, etc.

18:35 - Adormece a enumerar países terroristas;

18:50 - Acorda em sobressalto, com dores no pulso direito;

19:00 - Aterra e é de imediato observado por um médico com um nome genuinamente americano (Schmidt);

19:10 - É-lhe diagnosticada uma tendinite resultante de "grab" tantas "pussies" e uma doença venérea na garganta;

19:15 - Vê TV (A Fox News);

19:45 - Revoga as acreditações dos orgãos de comunicação estrangeiros por divulgarem "huge and amazing news", apenas mantendo as acreditações do Pravda, do Correio da Manhã, do Sol e do Observador;

20:00 - Dita mais 372 tweets;

20:10 - Emite um Decreto Presidencial a obrigar as Forças Armadas a encomendarem os fardamentos à sua filha Ivanka;

20:20 - Manda um assessor directo "grab" uma funcionária "by the pussy", para não se verificarem hiatos na sua governação ao "Old American Style";

20:30 - Jantar enquanto vê (na Fox, claro) o filme Wall-E;

21:00 - Liga para a Fox a pedir o telefone do Wall-E para lhe sugerir que patrocine o Muro com o México;

21:15 - Assina um Decreto Presidencial a nomear um membro do juri do "American's Got Talent" para o Supremo Tribunal;

21:30 - Assina um Decreto Presidencial a demitir esse membro do Supremo Tribunal ao descobrir que ele tinha gostado da interpretação de um tema da Lady Gaga;

21:40 - Faz mais 10 telefonemas ofensivos para outros presidentes de outros países,mas no fim sugerindo-lhes franchisings da roupa da Ivanka e patronício para o Muro com o México;

22:00 - Liga para Israel e comunica-lhes que vai mudar a residência do embaixador dos EUA para Jerusalém, como sinal do forte apoio norte-americano a Israel (apesar de a verdadeira razão ser para o embaixador ver se consegue sacar os planos do Muro das Lamentações);

22:15 - Envia os últimos 364 tweets;

22:30 - Vai tomar duche e aí olha para baixo e pensa, melancolicamente, como gostaria de "make America great again";

22:40 - Lembra-se que se esqueceu da emigrante, como é que ela se chamava... mas também não interessa... e vai ao armário buscar uma emigrante insuflável;

22:50 - "Grabs" a boneca "by the pussy", grita de dor por causa da tendinite e chama à boneca Hillary!

23:00 - Liga a um assessor para mandar investigar os emails da boneca;

23:05 - Decide estrear o pijama que o seu número dois lhe ofereceu, todo branco e com um chapéu em cone, também branco;

23:10 - Não resiste a mandar mais 42 tweets;

23:20 - Vê TV (a Fox claro);

23:30 - Adormece a ver TV;

23:40 - Sonha que está a "Grab" a Merkl "by the pussy" e acorda em sobressalto;

23:50 - Volta a adormecer após enviar mais um tweet a dizer que o Presidente dos EUA não dorme;

24:00 - Adormece a sonhar que está a "grab" a Theresa May "by the pussy" e dorme que nem um anjo.

 

Agenda bem cheia, como se vê"

TRUMPUNIDADE! TRUMPUNIDADE!

por bolinando, em 12.02.17

Resultado de imagem para trump

Trump quer unir os americanos...Quer acabar com tudo o que os separa. E como prova disso começa por tentar acabar com... a separação de poderes!

APROVEITE AS CAMPANHAS DE PROMOÇÃO DA CASA BRANCA!

por bolinando, em 09.02.17

Resultado de imagem para Kellyanne Conway

Esta pirua com ar de hospedeira das linhas aéreas da Coreia do Norte depois de atropelada por um camião de transporte de mísseis, é conselheira de Trump.

E deve ter um contrato daqueles de 60 horas, como gostariam alguns padeiros portugueses, porque, mesmo fora de horas, apareceu na cadeia Fox, em directo da Casa Trump Branca, num gabinete com o selo oficial da Casa Branca, a apelar a que os americanos fossem comprar os produtos vendidos pela filha do Presidente, a Ivanka (com este nome tem muita sorte por o pai a deixar entrar nos EUA). 

"Vão comprar os produtos da Ivanka. Detesto fazer compras, (mas) hoje vou fazê-las. É uma linha magnífica (de produtos). Eu própria tenho alguns. Vou fazer publicidade gratuita: vão todos comprá-los. Vocês podem encontrá-los online".

Assim, com o descaramento todo!

Só espero que os produtos em questão sejam estes penicos de cabeça vermelhos e estes dólmens de hussardo de Pyong-Yang! E espero que esgotem rapidamente!

Até porque já estou a ver a nova tendência da moda primavera-verão para espantalhos do mid-west!

Por aqui se vê como, para esta administração, etiqueta é apenas aquele quadradinho de tecido com o número da peça de roupa e as instruções de lavagem.

Imaginem o que seria se em Portugal um assessor do Presidente Marcelo viesse falar do Palácio de Belém, em directo, a aconselhar as pessoas a irem comprar "Farinha Amparo", ou "Calcitrine"!

É O TRUMPGÁGÁ DA BICHARADA...

por bolinando, em 09.02.17

Resultado de imagem para trump and animals

Nem os animais escapam à insanidade política de Trump! Por "instruções superiores" (leia-se a Administração Trump), a partir de 3 de Fevereiro, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) retirou da sua página online os relatórios das inspecções às indústrias animais.

Há muito que as indústrias se queixavam da publicação dos relatórios que denunciavam as condições cruéis detectadas em inúmeros matadouros e explorações de criação intensiva, nomeadamente de suínos e de aves e do impacto que esses relatórios tinham sobre a opinião pública americana, o que obrigava essas indústrias a investirem em condições que respeitassem minimamente o bem-estar animal.

Agora Trump y sus muchachos resolveram a questão pela raiz: Proibiram, a publicação desses relatórios, o que está a provocar (mais) uma onda de protestos, desta vez entre as associações de defesa dos animais.

Confesso que a mim esta atitude não me surpreendeu. Por um lado porque Trump nunca escondeu ser o testa de ferro dos grandes lobbies industriais mais reaccionários dos EUA. Por outro lado porque desde o primeiro dia que Trump tem investido contra todos os que têm um QI superior ao seu. Chegou a vez dos animais.

Após o cão de água português de Obama, já se sabe agora quem é o novo animal habitante da Casa Trump Branca. É uma doninha fedorenta e chama-se Donald!

A CRIATURA E O CRIADOR

por bolinando, em 08.02.17

 

Pois é... torna-se cada vez mais claro por que razão Trump foi eleito, apesar de ser reconhecidamente um idiota. 

Não que os sectores da direita mais radical tenham deixado de o considerar um idiota. Apenas mudaram a sua classificação de "idiota inútil" para "idiota útil".

Trump não foi eleito para mandar mas sim para se sentar na Sala Oval a brincar ao "Risco".

Bannon e os seus seguidores, capazes de fazer o "Tea Party" parecer um bando de perigosos esquerdistas lá vão implementando a sua agenda, cada vez menos oculta. E de repente  a "Land of Oportunities", o "Big Melting Pot", a terra da "Declaração de Independência", do "We, the People", acorda diariamente com medidas que não "envergonhariam" algumas das ditaduras mais selvagens que o mundo já conheceu. E isto em questão de dias.

E enquanto Trump vai imitando Salazar depois de cair da cadeira, convencido de que é ele que manda, olhando para "as gajas" que passam pela White Trump House" (o Salazar só olhava para as galinhas do quintal), e a fazer telefonemas ao estilo aluno do secundário para os lideres de todo o mundo, perante o gáudio dos red-necks que julgam que o mundo deve ser governado ao estilo Custer e se esquecem (os que sabem) como acabou Custer e o seu sétimo de cavalaria, na sombra os Bannons e outros personagens sinistros, vão empurrando o mundo para um abismo...

É curioso ver-me a ter um pensamento que nunca imaginei... o de que sejam os militares americanos, conscientes dos verdadeiros perigos e da inutilidade de certas atitudes, que ponham um ponto final neste Circo presidido por Calígula II em que a política norte-americana se está a tornar. 

 

 

NÃO AO MURO NA MEXICANA!

por bolinando, em 31.01.17

 

Estou preocupado. Parece que Trump se prepara para dar instruções ao novo embaixador dos EUA em Portugal para iniciar os estudos sobre a construção de um muro em torno da Mexicana, o qual seria financiado por uma percentagem do custo das bicas e dos galões servidos nessa pastelaria, o que me afectaria em virtude ser um cliente ocasional da mesma. 

Claro que a ameaça não é para já, pois Trump ainda está a tentar descobrir no mapa onde fica Portugal, e como está debruçado sobre um mapa da Disneyland de Orlando, ainda demorará algum tempo a concretizar a ideia.

Mas até lá e para não perder tempo, já deu ordens para despedirem da Disneyland o Pluto (nos EUA, filho da Pluta célebre, só pode haver um, o próprio Trump), a Branca de Neve por confraternizar e ajudar 7 doentes de nanismo, o que lhe cheira perigosamente a Obamacare, o Aladino por ser oriundo de um país muçulmano, o Tio Patinhas, por ser mais rico que ele, o Speedy Gonzalez, por ser mexicano, a Minnie, por ser uma rata que não permite que ele a agarre pela dita, o João Honesto por sê-lo e o pato Donald, para evitar confusões. 

Mas em contrapartida também já nomeou o Bafo de Onça para novo embaixador no México e o Tico e o Teco para ocuparem o espaço oco por baixo da sua cabeleira.

ENFARTE, CUMPRE O TEU DEVER!

por bolinando, em 31.01.17

Resultado de imagem para Trump cardiac attack

Segundo o Daily Sun, um eminente cardiologista britânico, identificado como Dr. Heck, prevê que Donald Trump venha a falecer de ataque cardíaco durante o seu mandato.

Eu não sou médico, mas quero firmemente acreditar na competência deste.

Agora, o que acho mais complicado será fazer parecer que foi mesmo um acidente cardio-vascular!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D